Aconteceu hoje, dia 17, a comemoração antecipada do Dia Mundial da Água em Ibitinga.

Oficialmente criado pela Assembléia Geral da ONU, pela Resolução A/RES/47/193 de 21 de Fevereiro de 1993, o Dia Mundial da Água é comemorado todo dia 22 de março de cada ano, e tem como objetivo lembrar a todos nós o quão importante é a água para nossa sobrevivência e também das gerações futuras.

Esse ano o SAAE, Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Ibitinga, teve a iniciativa de promover evento comemorativo alusivo ao dia juntamente com a TV SBT Central, da cidade de Jaú, a comemoração aconteceu na Praça João Abrão, e teve início às 14 horas.

O evento contou com a participação da Secretaria do Meio Ambiente de Ibitinga, bem como do Corpo de Bombeiros, entidades sem fins lucrativos e artistas locais, como a orquestra de violeiros de Ibitinga.

Orquestra de Violeiros em apresentação no evento/Foto: Mariah Bispo

Na ocasião também foram oferecidos serviços à população.

O EFAC, que é um instituto de formação de profissionais da beleza, de Lençóis Paulista, esteve com seus alunos promovendo cortes de cabelo, maquiagem, manicure e pedicure.

Já a Unimed ofereceu serviço de aferição de pressão e orientação de saúde a todos as pessoas presentes no evento.

Como o momento nos remetia a uma reflexão profunda sobre os recursos naturais, a Secretaria do Meio Ambiente preocupada como isso, estava promovendo a doação de mudas para reflorestamento.

 

Funcionários da Secretaria do Meio Ambiente entregando mudas de árvores para reflorestamento/Foto: Mariah Bispo

Parabenizo a administração do SAAE pela iniciativa, mas acredito que o evento seria bem melhor, bem mais interessante, se a fonte da praça estivesse funcionado, pois o charme do local é essa fonte.

Bem sei que exite um processo movido pela administração pública para apurar a conduta da construtora na revitalização da praça, porém a população irá ficar aguardando até quando o desfecho da recuperação do bem público?

Fonte isolada por grades, que até na semana passada era isolada por tapumes de madeira/Foto: Mariah Bispo

A justiça, embora não seja falha, é demorada.

Não seria mais humano com o cidadão pagador dos impostos e principal cliente do poder público, promover a manutenção definitiva da atração?

Feita a manutenção, recuperado o bem estar da população, que deveria ser o objetivo principal do poder público, aguarda-se o desenrolar do processo, e se ficar provado que a construtora agiu de má fé, ou imperícia, imprudência, negligência, usa-se os rigores da lei para punir o infrator e não punir o povo, que já não aguenta mais o descaso, e logo o povo que precisa ser amparado.

Vivemos tempos difíceis, que até a linguiça esta mordendo o cachorro.

Tenho dito!

Informação sobre o processo movido pela administração pública/Foto: Mariah Bispo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário.
Por favor, digite seu nome